26/10/2017 - Educação

 Fundação Vale inaugura Sala de Acolhimento em São Luís

 Educação de Jovens e Adultos


Oferecer oportunidade e acesso à educação. Com esta proposta foi inaugurada pela Fundação Vale e pela Prefeitura de São Luís a primeira Sala de Acolhimento para alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) de São Luís. A iniciativa tem como objetivo ofertar um espaço onde esses alunos possam deixar seus filhos enquanto frequentam as aulas. No local, as crianças participarão de atividades lúdicas, mediadas por uma educadora, além de ter acesso a livros e brinquedos educativos.
 
“Minha mãe trabalha à noite e meu irmão pequeno não tem com quem ficar. Agora posso trazer ele para cá e ficar despreocupada”, disse a aluna do EJA Liana Pires, de 16 anos. “O espaço ficou lindo! Como tem muitos brinquedos, as crianças se divertem e não estranham o lugar”, completa Liana. A sala foi implantada na Unidade de Ensino Básico Professor Carlos Saads, localizada na Vila Mauro Fecury I, Itaqui-Bacanga. Além desta, mais dois espaços serão entregues até o final deste ano nas Unidades de Ensino Básico Professor Nascimento de Moraes, no bairro Cidade Operaria, e Professor José Goncalves do Amaral Raposo, em Pedrinhas.
 
 
 
 
O trabalho da Fundação Vale na Educação de Jovens e Adultos - EJA, busca apoiar, potencializar e fortalecer projetos e práticas que tenham como meta ampliar a escolaridade e a cidadania, e consequentemente a inclusão educacional. “Oferecer salas de acolhimento para os filhos e trabalhar em sala de aula questões relacionadas a desigualdade de gênero, são estratégias para a redução da evasão escolar e para a construção de uma sociedade mais justa” afirma Fernanda Fingerl, Gerente de Educação e Cultura da Fundação Vale.
 
“Este é um momento histórico. A Escola Carlos Saad foi premiada por iniciar um processo de inovação em relação aos cursos para jovens e adultos”, disse o Secretário Municipal de Educação, Moacyr Feitosa. “Agradeço à parceria com a Vale e com a Fundação Vale por mais este projeto. Por este espaço que é lúdico e onde as crianças poderão desenvolver de forma saudável as suas relações sociais”, completou o Secretário.
 
 
 
 
Segundo o Relatório Global sobre Aprendizagem de Adultos, publicado em 2017 pela Unesco, existem no mundo mais de 700 milhões de adultos analfabetos. Desse total, 115 milhões são jovens, ou seja, têm entre 15 e 24 anos de idade. Além disso, o mesmo relatório evidencia que a falta de educação de qualidade para jovens e adultos afeta mais as mulheres do que os homens, visto que 63% dos adultos com baixas habilidades de alfabetização é formado por mulheres e a taxa de meninas fora da escola é mais alta do que a de meninos. Sem ter com quem deixar os filhos, principalmente as mães, acabam não retornando aos bancos escolares.