10/10/2017 - Cultura

 Fundação Vale traz exposição Jardins Móveis para Belo Horizonte

 A mostra é composta por 13 esculturas


Um passeio por um 'bosque encantado', onde os visitantes encontram grandes esculturas coloridas elaboradas a partir de 4 mil bichos e outros objetos infláveis que ganharam novos significados. A proposta inusitada dos artistas visuais Felipe Barbosa e Rosana Ricalde deu origem a 'Jardins Móveis', uma exposição que convida à fantasia e ao mesmo tempo à reflexão sobre a relação entre a natureza e o consumo. Apresentada em parques na Cidade do México, em 2007, e em Lausanne (Suíça), em 2016, a exposição foi recebida no Brasil pelo Museu Vale, em Vila Velha (ES), entre 29 de junho e 24 de setembro, e agora a versão itinerante chega à capital mineira, onde ficará até o dia 12 de novembro.
 
A mostra é composta de 13 esculturas montadas em estruturas de ferro moldado, sendo quatro dispostas no Memorial e nove na Praça da Liberdade, com dimensões que chegam a 10 metros (m) de altura por 15 m comprimento e 3 m de largura. Inspirada nos dinossauros, a maior das esculturas foi apelidada de 'megassauro'. Os visitantes também terão a oportunidade de conferir obras em forma de tucano, dromedário, veado, lhama, lagarto, polvo gigante, elefante, pato e boi, entre outros.
 
"Na Cidade do México, a inspiração foi a topiaria - arte de podar plantas em formas ornamentais - muito presente nos parques locais, por isso utilizamos muitos infláveis na cor verde das árvores. No Brasil ela veio diferente e mais colorida", explica Rosana Ricalde.
 
Em apenas três meses aberta ao público no Museu Vale, a exposição levou mais de 98 mil pessoas, o que, em média, corresponde a cerca de 1500 visitantes por dia. “Ressignificar um objeto comum, como um inflável, aproxima mais o público do trabalho artístico”, destaca Wagner Tameirão, gestor do Memorial Minas Gerais Vale. “Decidimos iniciar a exposição em outubro para promover uma interação ainda maior com as crianças durante o mês delas”, conta.
 
O intercâmbio de conteúdos entre os espaços culturais da Vale faz parte do programa Itinerância Cultural da Fundação Vale, que visa contribuir para a democratização da cultura e valorização do patrimônio material e imaterial brasileiro. “Acreditamos que a atuação em rede dos nossos espaços culturais e o compartilhamento ajudam difundir a cultura brasileira”, diz Fernanda Fingerl, gerente de Cultura e Educação da Fundação Vale.
 
A exposição Jardins Móveis, o Memorial e o Museu Vale são patrocinados pela Vale, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultural (Lei Rouanet).
 
 
O que os visitantes podem esperar ver na exposição?
 
Felipe Barbosa: Jardins Móveis traz o aspecto crítico do consumo associado ao lazer. Esse 'bosque encantado' remete à produção em massa, à relação compra-venda que ocupa um lugar de naturalidade na dinâmica do passeio e ainda à artificialidade dos jardins.
 
Rosane Ricalde: A exposição ganha vida própria e autonomia de leitura em cada lugar por onde passa. Não remontamos o que já foi apresentado.
 
Como você vê a itinerância da exposição para a difusão da cultura até no interior do país?
 
FB:Para o artista realizar uma exposição é um gasto de muita energia e dedicação. Este tipo de ação é fundamental para divulgar nosso trabalho. A ação no Memorial é muito interessante, pois ela extrapola o espaço físico do equipamento cultural e também ocupa as ruas, no caso a Praça da Liberdade, em Belo Horizonte. Iniciativas como essa funcionam como mais um agente transformador, além de fazer com que as pessoas possam refletir sobre o seu cotidiano.
 
 
Como parcerias com a Fundação Vale, a Vale e outras empresas contribuem para a concretização de exposições desse porte?
 
FB:As parcerias são uma prova do uso inteligente do recurso investido, já que uma exposição que antes seria parte de uma programação local, passa a rodar por outras cidades do País. Isso é importante para o artista que vê seu trabalho reconhecido e para a Vale que possui uma atuação nacional e em diferentes regiões do Brasil.
 
 
Conheça alguns números do Jardins Móveis em Vila Velha
 
Foram 75 dias de exposição
+ de 98 mil pessoas estiveram no Museu Vale, sendo mais de 15 mil estudantes
 
 
Intercâmbio Cultural
Iniciado em 2016, o programa Itinerância Cultural é uma iniciativa da Fundação Vale, que tem como objetivo contribuir para a ampliação do acesso à Cultura e à preservação do Patrimônio Cultural brasileiro por meio de uma ação integrada envolvendo os espaços culturais da Vale: Museu Vale (ES), Memorial Minas Gerais Vale (MG), Casa de Cultura de Canaã dos Carajás (PA) e Centro Cultural Vale Maranhão (MA).​
 
Jardins Móveis
 
A exposição 'Jardins Móveis' de Felipe Barbosa e Rosana Ricalde propõe uma reflexão sobre a ideia de parque urbano como espaço de relaxamento e consumo. São 12 esculturas super coloridas que incorporam bichos e objetos infláveis de forma imaginativa. A mostra ocupa as dependências do Memorial Minas Gerais Vale e os jardins da Praça da Liberdade, por onde os visitantes poderão andar para descobrir cada escultura e buscar seus significados.
 
Locais: Memorial Minas Gerais Vale e Praça da Liberdade
Período: de 8 de outubro a 12 de novembro
Entrada gratuita