Programa Rede Mulheres do Maranhão recebe reconhecimento nacional

 Programa é um desdobramento do AGIR EFC


O apoio dado à Rede de Mulheres do Maranhão pela Fundação Vale, desdobramento do programa AGIR da Estrada de Ferro Carajás (EFC), é um dos cases vencedores do Prêmio Ser Humano Oswaldo Checchia, entregue anualmente pela Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-Brasil). O AGIR EFC concorreu na categoria Gestão de Pessoas - Sustentabilidade. Além dele, outras duas de nossas iniciativas estão sendo premiadas: o Programa de Formação Profissional: Capacitação de Mão de Obra para Canaã dos Carajás e S11D, na categoria Desenvolvimento, e o projeto Meu Canto – Implantação de Ambiente Colaborativo Utilizando Design Thinking, na categoria Administração.
 
 
Rede Mulheres do Maranhão
 
Trabalhar o associativismo em rede como alternativa para melhorar a cadeia produtiva dos negócios sociais apoiados pelo Programa AGIR EFC. Esse é o papel do “Rede Mulheres do Maranhão”, iniciativa que reúne os 15 empreendimentos que integram o programa nos sete municípios-sede entre os estados do Maranhão e Pará. Além de gerar o empoderamento feminino (a maioria dos negócios é formada por mulheres), o associativismo em rede permite melhores condições de compra e venda de produtos e insumos e, ainda, o acesso a mercados consumidores de maneira coletiva entre os grupos.
 
 
AGIR EFC
 
Desenvolvido pela Fundação Vale, em parceria com o Instituto de Socioeconomia Solidária (ISES) e com o apoio da Vale, o programa buscou uma alternativa de geração de renda para as pessoas que tinham como negócio o comércio informal de alimentos às margens da Ferrovia. Os empreendedores vêm sendo acompanhados desde agosto de 2014 e estão sendo orientados, a partir de seus desejos e das vocações locais, a encontrar novas formas de geração de trabalho e renda.