18/06/2018 - Educação

 Roda de conversa estimula debate sobre equidade de gênero

 A roda de conversa é uma iniciativa da Fundação Vale



“É importante levarmos a questão da equidade de gêneros a todos os espaços sociais para pensarmos juntos. Racismo e homofobia não são opinião, são crimes e devem ser descontruídos. O que não é falado, grita”. Defendendo essa ideia, a palestrante Mônica Waldhelm, doutora em gênero e sexualidade, envolveu cerca de 80 participantes na roda de conversa ‘Mulheres: trajetórias de vida, superações e empoderamento’, realizada na última quarta-feira (13), na Mina de Carajás.
 
A iniciativa da Fundação Vale, com o apoio da Vale, tem o objetivo de fomentar uma discussão sobre a necessidade de se eliminar os preconceitos e diferenças no tratamento entre homens e mulheres, proporcionando oportunidades iguais. “Não se pode achar que o preconceito sutil não é violência. Se a sociedade quer avançar com a civilização, temos que pensar em nossas práticas atuais”, afirmou a palestrante e pesquisadora em Direitos Humanos Joana Garcia.

Confira abaixo os depoimentos de algumas empregadas que participaram da roda de conversa.
 
"O que me empodera no diaa dia é poder ser quem eu sou e seguir minhas escolhas. Fazer com que todos me respeitem não por ser mulher, mas por ser gente, sem rotulações", Itatiana Reis.
 
"O que faz eu me sentir empoderada no dia a dia é ter oportunidade para expor minhas ideias e poder realizar as atividades com igualdade de direitos.", Eleilza Oliveira.
 
"Sou empoderada no dia a dia pelos relacionamentos respeitosos construídos, pelo conhecimento adquirido e pela experiência de vida", Érica Sarges.