Fundação Vale

Balanço de atividades da Fundação Vale em MG em 2018

Header Minas Gerais

Em 2018, a Fundação Vale atuou em 26 municípios do estado de Minas Gerais, nos quais investiu R$ 10,9 milhões em programas de quatro áreas: Geração de Trabalho e Renda, Educação, Saúde e Cultura. A Fundação Vale também é mantenedora da Estação Conhecimento de Brumadinho. Ao todo, 224 empreendedores da região foram apoiados, cerca de 165 mil pessoas foram impactadas pelos programas de Saúde e mais de três mil alunos da rede pública foram impactados pelos programas de Educação. Nesse ano, também foram acompanhados os resultados das 10 iniciativas mineiras contempladas pelo Edital Reconhecer, projeto que apoia atividades de instituições sem fins lucrativos.

Geração de renda para empreendedores locais

Em 2018, em Periquito, a Fundação Vale atuou junto com um grupo de costureiras que já produziam e comercializavam tapetes artesanais, onde as 24 mulheres artesãs participaram do Programa Empreendedorismo Social Comunitário (PESC). O PESC consiste na aplicação de uma metodologia de apoio a negócios sociais em localidades com potencial empreendedor ainda incipiente.

Em Resplendor, também através do PESC, a Fundação apoiou o Turismo Resplendor, iniciativa que visa fomentar a cultura empreendedora, a criação e o fortalecimento de negócios turísticos e toda cadeia complementar, além da inovação dos serviços e produtos locais e inserção do destino no mercado regional, com atuação sistêmica e em rede. O programa contempla empreendedores do setor da cadeia produtiva do turismo de Resplendor, como, por exemplo, hotéis, restaurantes, guias, agências de turismo e setor rural do município.

Já através do Programa Equidade de Gênero, iniciativa que tem como foco fomentar negócios sociais liderado por mulheres, a Fundação Vale apoiou a profissionalização das Doceiras de Tumiritinga, grupo de mulheres que comercializava doces para os passageiros de trem na Estrada de Ferro Vitória-Minas (EFVM). Com o apoio, as doceiras criaram uma cooperativa, com o objetivo de estruturar o empreendimento para potencializar as vendas. Recentemente, a Cooperativa adquiriu um imóvel para ser a sede própria do empreendimento, com recursos da Vale e da Fundação Vale.

No segundo semestre de 2018, a Fundação Vale promoveu, junto com a Vale, feiras nas operações Alegria e Brucutu com a participação de alguns dos empreendedores sociais apoiados pelo PESC e também pelo Programa AGIR (Apoio à Geração e Incremento de Renda). O evento gerou cerca de R$ 8 mil em faturamento para os negócios sociais participantes. Em Ouro Preto, 21 empreendedoras apoiadas pelo AGIR firmaram uma parceria com o Centro de Promoção e Saúde (CEDAPS) do Rio de Janeiro, para a fabricação de 1.500 blusas e ecobags, criando e fortalecendo a interação entre as áreas e parceiros da Fundação Vale.

Fortalecimento da Atenção Básica

O Programa Ciclo Saúde contribui para o fortalecimento da Atenção Básica por meio de cooperações técnicas com o município para apoio à gestão da saúde para profissionais da rede e para a população local e equipagem das Unidades Básicas de Saúde (UBS). Cerca de 165 mil pessoas foram impactadas com a capacitação de 502 profissionais de saúde em 55 UBS de 6 municípios.

O Programa foi o vencedor da categoria Sustentabilidade do Prêmio Ser Humano, da Associação Brasileira de Recursos Humanos de Minas Gerais (ABRH-MG), que reconhece e valoriza iniciativas dedicadas ao desenvolvimento das pessoas dentro e fora das organizações.

Incentivo à leitura

Em 2018, a Fundação Vale executou projetos de Educação Infantil e Educação Inclusiva em Minas Gerais, impactando cerca de 4.000 alunos. Somadas a estas iniciativas, a Fundação Vale investiu em projetos de Promoção do Livro e da Leitura que contemplaram atividades formativas e estruturação de espaços para facilitar o acesso ao livro e promover atividades de incentivo à leitura. Os investimentos foram realizados em 10 municípios mineiros.

Dentre as diversas ações, pode-se destacar: a implantação de salas de recursos multifuncionais do projeto Educação Inclusiva, beneficiando cerca de 450 alunos com deficiência.

Em Itabira, a Fundação apoiou todas as 18 creches e as 23 pré-escolas da rede pública municipal, propondo iniciativas para ampliar as possibilidades do trabalho educativo e pedagógico, além de melhorar a qualidade do processo de desenvolvimento e aprendizagem. Com foco no desenvolvimento das crianças com até cinco anos de idade, a iniciativa envolve desde estruturação de espaços de educação infantil até a formação de profissionais de educação. Mais de 300 profissionais, entre gestores, professores e equipe de apoio das unidades de Educação Infantil, participaram das formações.

A Fundação Vale ainda realizou a estruturação de salas de leitura pelo programa de Promoção do Livro e da Leitura e aumentou o acervo de livros literários de salas de leituras inauguradas em 2017.

Ao todo, mais de 3.400 alunos da rede pública foram impactados com as atividades desenvolvidas na região.

Estação Conhecimento de Brumadinho

Inaugurada em 2011, a Estação Conhecimento de Brumadinho tem como proposta oferecer formação integral para crianças, jovens e seus familiares em situação de vulnerabilidade social e residentes nas comunidades da região. São promovidas atividades relacionadas ao esporte, cultura e educação. Em 2018, atendeu 721 pessoas, que participaram de atividades relacionadas a esporte, cultura e educação.

Cultura como ferramenta de educação

O Memorial Minas Gerais Vale tem como proposta preservar a identidade cultural e o patrimônio imaterial de Minas Gerais e incentivar a produção cultural e artística contemporânea do Estado.

Em novembro, o Memorial celebrou o mês da Consciência Negra com uma curadoria de atrações pensadas para enaltecer essa data e relembrar a importância dos momentos, da arte e da cultura afro. Dentro da programação, foi lançado, no Sarau das Pretas, o livro Raízes – Resistência Histórica, que reúne 20 autoras negras, de diferentes estilos literários.

Já o Projeto Memorial Itinerante – Africanidades levou um recorte do acervo do memorial para outras localidades, com o objetivo de ampliar a discussão e a reflexão a respeito das questões étnico-raciais, propondo ações de fortalecimento das identidades e apropriação das matrizes africanas presentes na sociedade brasileira.

Em 2018 também foi lançado o livro “Estação Cultural: Mapeamento de Aimorés”, onde foram reunidas histórias de pessoas e instituições que contribuíram para o desenvolvimento do município. Entre os temas abordados estão: artesanato, artes visuais, tradição rural, práticas de cura, música, festas e eventos e gastronomia. As escolas da cidade receberam exemplares da publicação e os professores participaram de um dia de formação para conversarem sobre como trabalharem o conteúdo do livro nas escolas e em espaços alternativos do munícipio.

Mina Gerais se destaca no Edital Reconhecer

Durante ano de 2018 foram executados os projetos selecionados pelo Edital Reconhecer no ano anterior. Com o objetivo de apoiar projetos sociais de instituições sem fins lucrativos voltados à Geração de Trabalho e Renda, Educação e Saúde, o Edital contemplou 10 projetos mineiros com o valor de até R$ 30 mil.

​​​​​​​​